Informações sobre o sono e descanso

Asim dormem alguns anima

Alguma vez se parou para pensar se nossos hábitos de sono, as fases que passamos enquanto dormimos: pesadelos, insônia, etc. também afetam aos animais? Então se você quer satisfazer a sua curiosidade, não perca o nosso post de hoje.

Asim dormem alguns anima!

Graças a 32 câmeras instaladas em um zoológico para o documentário da BBC “Animals at night” e os 20 sensores infravermelhos colocados para a mesma finalidade, podemos conhecer de que forma dormem os animais, quais são seus costumes, hábitos, experiências e quantidade de sono.

Lendo isto vai perceber que, às vezes, alguns hábitos de sono de algumas espécies são extremamente estranhos e peculiares. Este documentário reúne de forma pioneira as costumes de sonho de mais de cinqüenta espécies diferentes. Se deve levar em conta que o experimento foi realizado com animais que são encontrados principalmente em cativeiro, mas resulta curioso comprovar como os instintos com os que nascem e sua prioridade (a sobrevivência) não mudam ainda que as ameaças não sejam reais, como em seu habitat natural. De acordo com a espécie, os hábitos são diferentes.

Vamos dar uma olhada em alguns deles:
– LEÕES. Dormem por mais de 8 horas por dia, mas eles fazem principalmente cochilos, entre presa e presa, éja seja de dia ou de noite. Líderes do rebanho são protegidos durante a noite para manter a segurança do mesmo.
– GIRAFAS. Não dormem mais de 3 horas seguidas. Elas acordam cada duas horas e olham para o horizonte para ver se os predadores as espreitam. Elas podem sobreviver sem fechar os olhos por semanas.
– ELEFANTES. Igual que as girafas, eles não dormem mais de 3 horas seguidas, mesmo longe da ameaça de seu habitat natural.
– PINGUINS. Eles sobrevivem com quatro horas de sono por dia.
– FORMIGAS. Seus padrões de sono são um pouco peculiares, porque ao dormir nas colônias, sua finalidade é manter a colônia segura e tranquila à noite.
– POLVO E LULA. Acredita-se que estas espécies mantem sonhos durante seu descanso, porque da para apreciar movimentos rápidos dos olhos (REM), convulsões e mudanças de cor no seu corpo durante o mesmo.
– CÃES. Em sua fase de sono profundo, os cães chegam a sonhar, latindo ou movendo seus membros durante esta fase.
– ORNITORRINCO. Estes animais imitam os movimentos que seriam feitos para caçar crustáceos quando eles dormem.
– FLAMINGOS. As aves pernaltas dormem de pé sobre uma pata e com um olho aberto.

– OS CHIMPANZÉS, BABUÍNOS E GORILAS. Os chimpanzés são os mais semelhantes aos seres humanos, ja que eles dormem entre 6 e 8 horas por dia. A espécie de primatas: babuínos, dormem em posturas estranhas e pouco confortáveis, apoiado sobre os seus calcanhares para evitar cair em sono profundo e, assim, evitar ataques de predadores. No caso dos gorilas, são as espécies mais curiosas, ja que na hora de dormir sempre preparam a cama na que irám fazê-lo juntamente com sua prole. Este padrão torna-se um ritual diário em que, por cerca de dez minutos, acomoda a superfície para um agradável descanso de cerca de 8 horas.
– GATOS. E sabido, por tê-los em casa e ter visto seus comportamentos, que os gatos podem se mexer sonâmbulos durante o sono.
– GOLFINHOS. Eles dormem com metade do cérebro “acordado” e um olho fechado, porque assim eles controlam quando têm que subir à superfície para respirar. Se tem observado como seu corpo desce até o fundo e reage ao toque, reativando a parte que esta acordada.
BALLENAS. Se ha grabado a un grupo de ballenas descansando en la superficie del mar, permaneciendo totalmente quietas hasta ser despertadas por alguna lancha cercana. Esto corrobora que las ballenas tienen la capacidad de alcanzar una fase profunda en el sueño.
TIBURÓN. La variedad de tiburón mielga, es capaz de dormir mientras nada. El impulso enviado por su médula espinal al resto de su cuerpo es la razón, mientras, su cerebro descansa. La razón: la necesidad de agua oxigenada resultante del movimiento.
CABALLOS Y CEBRAS. Estas especies se mantienen de pie durante el 98% del día, lo que hace que sea casi imposible alcanzar el sueño profundo.
MURCIÉLAGOS. Llevan el mérito de los más dormilones, pues duermen colgados boca abajo durante más de 20 horas al cabo del día.
KOALAS. Siguiendo muy de cerca a los murciélagos, esta especie es de lo más perezosa, pues duerme unas 14 horas diarias, superando a los osos perezosos, que duermen 9 o 10 horas. ¿Te han parecido curiosos, como a nosotros, algunos hábitos de sueño de nuestros vecinos de planeta? Esperamos que os haya sido útil y haber contribuido a ese dicho de: “Nunca te acostarás sin saber nada nuevo”
BALEIAS. Foi registrado um grupo de baleias repousando sobre a superfície do mar, ficando completamente imóveis até ser acordadas por um barco nas proximidades. Isto confirma que as baleias têm a capacidade de atingir uma fase profunda do sono.
TUBARÃO. A variedade de tubarão mielga, é capaz de dormir enquanto nada. O impulso enviado pela medula espinhal para o resto do seu corpo é a razão, entretanto seu cérebro descansa. A razão: a necessidade de água oxigenada, resultantes do movimento.
CAVALOS E ZEBRAS. Estas espécies são mantidas em pé durante o 98% do dia, o que torna quase impossível atingir o sono profundo.
MORCEGOS. Eles têm o mérito de ser os mais sonolentos, ja que eles dormem pendurados de cabeça para baixo por mais de 20 horas no final do dia.
Seguindo muito de perto os morcegos, esta espécie é dos mais preguiçosos, porque eles dormem cerca de 14 horas por dia, superando o bicho – preguiça, que dormem 9 ou 10 horas por dia.

Lhe pareceram curioso, pareceu-me nós, alguns de nossos vizinhos sobre os hábitos de sono do planeta?

Esperamos que você tenha sido útil e contribuíram para que o ditado de: “Nunca minta sem saber nada de novo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

A falta de sono e Alzheimer

Um recente estudo demonstrou que a falta de sono está conectada com maiores níveis de uma proteína chamada beta-amiloide, conhecida pela sua relação com Alzheimer.

Para realizar o estudo, reuniram-se 20 participantes para que dormissem uma noite no Instituto Nacional de Saúde de Maryland (E.E.U.U.). Depois de uma noite de sono, foram submetidos a um scanner com o qual monitorizaram os níveis de proteínas no cérebro. Aproximadamente duas semanas depois, cada um dos participantes voltou a passar outra noite no centro. No entanto, desta vez foram despertados a cada hora, não sendo permitidos dormir profundamente. Depois de mais de 30 horas onde foram obrigados a manter-se acordados voltou-se a repetir o mesmo scanner cerebral.

Os resultados foram evidentes. Dezanove dos vinte participantes, com idades variantes desde os 22 aos 72 anos, mostraram níveis de beta-amiloides muito superiores depois de uma noite de não poder dormir corretamente. Ainda que estes níveis não eram preocupantes para o surgimento do Alzheimer, o estudo sugere uma conexão provável entre os hábitos de sono e o surgimento posterior desta doença.

Em parte, o Alzheimer diagnostica-se detetando grandes placas de beta-amiloide realizando estes mesmos scanner. Não obstante, ainda não se pode esclarecer qual é o motivo que cria o surgimento desta proteína.

Todas as pessoas produzem pequenas quantidades de beta-amiloide nos cérebros como parte do processo de generação de outras proteínas. No entanto, o próprio cérebro acaba por limpar esta proteína. Os investigadores não puderam detetar ainda se os maiores níveis de beta-amiloide se devem a que a falta de sono detém ou afeta o processo de limpeza do cérebro ou se esta se produz em quantidades maiores ao estar tantas horas acordado.

O que este estudo, igual a muitos outros, sim sugere é que a falta do descanso devido afeta o funcionamento correto do nosso cérebro.

Imagine voar na comodidade de uma cama

O fabricante europeu de aviões Airbus anunciou que estuda criar zonas de descanso com camas no andar inferior dos seus novos modelos.

Airbus trabalha com o fabricante de assentos Zodiac Aerospace no design de camas para serem instaladas nos porões dos aviões. A ideia é que o novo modelo Airbus A330, cujo lanzamento está previsto para 2020, incorpore camas para que os passageiros possam relaxar e dormir esticados durante os trajetos mais largos.

No momento trata-se unicamente de um projeto. Os fabricantes de aviões estudam constantemente como poder oferecer inovações que os diferenciem da competição. Tetos transparentes, zonas de jogos infantis, ginásio, bares… No entanto, a execução nem sempre é infalível.

Um dos pontos principais é a segurança. Durante certas fases dos voos, como levantar voo, aterragens ou momentos de turbulências os passageiros devem estar sentados com o assento reto, pelo que com o uso da cama se vê complicado. De igual forma, a zona dos assentos são sempre superiores no avião, pelo que a localização das camas no porão também levanta dúvidas sobre a segurança em relação à capacidade para evacuar os passageiros ante uma emergência.

As aerolínhas incorporaram alternativas multiplas para que esteja entretido durante os voos transoceanicos. Música, jogos, filmes… Não obstante, não há melhor maneira de estar oito horas num avião que passando pelas brasas.