Informações sobre o sono e descanso

Dicas para escolher o melhor colchão para as crianças

Qual é o melhor colchão para o seu filho

Na hora de escolher um colchão para a cama das crianças, os pais devem ter muito claro alguns critérios que vão ajudá-los a decidir por um colchão que, primeiramente, assegure o bem estar dos pequenos, e além do que não ofereça riscos para os pequenos em contrair alergias, ter problemas de sono ou algum problema na coluna.

Um produto ruim pode provocar consequências negativas para a saúde das crianças. Não é a mesma coisa comprar um colchão para o corpo delicado e frágil de um bebê, do que comprar para uma criança maior, cujo peso e tamanho exijam condições diferentes de firmeza e densidade.

Tipos de colchão para as crianças de acordo com a idade

Existe um colchão para cada corpo. O melhor colchão não é o que permite que as crianças fiquem pulando nele, ou que tenha cores de desenhos bonitos. O importante é a qualidade e a firmeza (densidade). Algumas pesquisas e avanços da ciência permitem dar algumas dicas que podem ajudar aos pais escolherem o melhor colchão para o seu filho.

Qual é o melhor colchão para os bebês

Os pediatras recomendam que o colchão para os bebês seja confortável, com um grau de firmeza (densidade) que minimize riscos de complicações como a síndrome de morte súbita do lactente ou broncoaspiração devido a refluxos. Um colchão com espuma viscoelástica, criado pela NASA, dissipa a pressão do corpo de maneira uniforme em toda sua superfície, conseguindo que, quando o bebê estiver deitado, não tenha pontos em que a pressão da cabeça, ombros ou cintura seja muito alta, mas que a pressão seja equilibrada de maneira uniforme.

Qual é o melhor colchão para crianças de 3 a 8 anos

A comodidade que a criança deve ter ao dormir é um fator determinante inclusive para o seu crescimento. Problemas de irritabilidade, psicomotricidade, baixo rendimento, diabetes, pouca resistência diante aos vírus comuns ou problemas com seus amiguinhos podem ser avisos de falta de sono, e nesse caso, o colchão tem muita importância.

Para uma criança que esteja nessa idade é importante que se escolha um colchão que lhe permita liberdade de movimentos e mudança de postura. Que seja confeccionado com um tecido que não gere nem calor nem frio, com tratamento anti-ácaros e, sobretudo, que exista uma ótima relação de densidade e conforto, que consiga que a criança se sinta dormindo nas nuvens.
A espuma mais indicada para crianças até três anos de idade é de densidade 18 a 20 (D18 a D20). Para crianças maiores, a mais procurada é a espuma de densidade 28 (D28).

Qual é o melhor colchão para crianças de 9 a 12 anos

Ainda que as horas diárias de sono sejam reduzidas devido às maiores diversões e deveres escolares, as crianças estão em pleno desenvolvimento, e o seu organismo se prepara para as alterações hormonais, assim que é visível sua mudança de estrutura e forma, da mesma forma que o lógico aumento de peso, e a densidade do colchão deve se amoldar a essas mudanças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Porque é importante um protetor de colchão

Se você já comprou um colchão e não lhe aplicou uma capa protetora, poderá estar a cometer um erro. Uma capa de colchão é um produto muito útil para manter o colchão nas melhores condições possíveis durante a vida útil. O uso deste produto protege a cama do pó, humidade e ácaros, por isso, além de ser bom para o colchão, também é bom para a sua saúde. Descansar com o máximo de higiene possível tem um efeito positivo nos seus produtos de descanso e na sua saúde.

Além de ser clara a importância sobre o uso de uma capa de colchão, você precisa também saber sobre que tipo de protetor é que precisa. É altamente recomendável que use protetores impermeáveis, pois eles protegem a cama de qualquer líquido derramado. Este tipo de cobertura de colchão é ainda mais importante em pessoas mais velhas e crianças, embora seja apropriado para qualquer tipo de cama. Neste caso, a Cobertura Transpirável Tencel é a mais recomendada, pois transpira o calor, disispando-o e é impermeável, tornando-a perfeita para a higiene dos colchões. É importante destacar a importância de que o cubre-colchão seja respirável e permitir uma ventilação adequada. Para isso, é importante certificar-se de que o material de proteção é de poro aberto ou seguir as instruções do fabricante.

Também é importante saber quando renovar cada capa de colchão. Os protetores de colchão não têm uma durabilidade média, mas são renovados de acordo com sua condição. No entanto, se a capa do colchão estiver danificada ou arranhada, ela deve ser substituída. A durabilidade destes produtos será marcada pelo uso e cuidado com as tampas.

 

Almofadas, também protegidas

Além do colchão, não se esqueçaa de proteger a almofada. Para isso, a capa protetora deve ser respirável, deixar passar ar e dissipar o suor, além de ser resistente a ácaros e antialérgica.

Usando um protetor como a Fronha Tencel, você prolonga a vida útil do produto. Esta fronha destaca-se por ser impermeável e por atuar como barreira contra líquidos que impactam a almofada. Esta fronha também é compatível com todos os tipos de almofadas, sejam elas viscoelásticas, látex ou fibras.

Se você quiser que o seu equipamento de descanso seja mantido nas melhores condições, você deve protegê-lo com produtos preparados para ele.  Assim você poderá prolongar a vida útil e ao mesmo tempo cuidar de sua higiene pessoal.

A importância do descanso para não apanhar uma constipação

Aproxima-se o momento em que qualquer descuido pode acabar num resfrio. O descanso pode ajudar-nos a não apanhar uma constipação? Sim. A qualidade do sono é um dos fatores que afeta as possibilidades de ficar resfriado ou não. Este facto é referido num estudo realizado pela Universidade da Pensilvânia em 2009, onde se afirma que dormir menos de seis horas aumenta o risco de obstipação.

Uma boa noite de sono protege o sistema imunológico, que protege o corpo contra resfriados e gripe. Dormir cerca de oito horas por noite reduz as chances de constipação. Deve-se lembrar que dormir mais de sete horas protege o organismo. Um estudo de pessoas que tinham dormido mais e menos de sete horas descobriu que as pessoas que dormiam menos de sete horas tinham quase três vezes mais probabilidade de adoecer do que aquelas que dormiam mais de sete horas. Como é possível ter uma boa noite de sono?

  1. Siga a sua rotina de descanso. Como você bem sabe, cuidar e controlar dos seus hábitos de sono ajuda a manter o horário de descanso correcto. Modificar a sua rotina o menos possível e fazer todo o possível para mantê-la é um passo fundamental para ter uma boa noite de sono. Um ponto importante para começar a defender-se da constipação, mas há mais.
  2. Aclimatize o seu quarto. Se a temperatura externa é fria, o seu quarto deve ser um lugar que o proteja e lhe permita dormir sem problemas. Lembre-se que a temperatura ambiente apropriada está entre 15ºC e 22ºC, para que você possa manter seu calor corporal próximo a 22ºC.
  3. Não se destape! Junto com a temperatura ambiente, outro aspecto importante da temperatura corporal é o abrigo que você usa. Além de cobrir-se bem durante o dia, é importante ter um bom abrigo durante a noite. Ter um recheio ou edredom nórdico que envolva a sua cama, o seu corpo e que proteja do frio vai evitar que o corpo se enfrie. Se você não se cobriu bem, e o seu corpo enfriar, tem uma constipação a caminho.
  4. Jantar, mais importante do que nunca. Um jantar que lhe permita dormir bem é sempre necessário e no inverno com mais razão. Além de ter um jantar leve, será importante para si comer alimentos que lhe permitam dormir com a temperatura corporal certa. Uma sopa ou um copo de leite quente e mel são duas apostas certas.
  5. Cuide do seu quarto. Uma manutenção higiénica evita o aparecimento de resíduos e bactérias que não só podem induzir a uma constipação, mas que podem infectar uma gripe, uma doença presente que ameaça o seu inverno. Limpar todos os espaços do seu quarto para evitar o aparecimento de bactérias pode reduzir as possibilidades de contágio.