Informações sobre o sono e descanso

Pode ou não dormir com o seu cão ou o seu gato?

A cumplicidade entre humanos e animais de estimação chega ao ponto dos bichos dormirem com os donos. E o que parece descabido para uns, é natural para outros. Mas o que acham os médicos?

Numa altura em que a taxa de natalidade continua a diminuir, muitas pessoas passaram a cuidar dos seus animais de estimação como se se tratassem de filhos. Daí o rol de negócios que nasceu em redor dos “pets”. Mas para outros, as relações de cumplicidade são antigas. E em ambos, as demonstrações de carinho são muito expressivas. Podem mesmo incluir o hábito de dormir com o cão ou o gato.

As opiniões sobre este hábito dividem-se: uns consideram uma prática descabida e pouco higiénica. Outros consideram ser uma simples prova de afeição. Para chegar a uma resposta definitiva, o Observador foi ouvir os especialistas.

A opinião dos veterinários não difere muito: não é anti-higiénico; mais, pode até ser saudável dormir com o seu animal de estimação. Mas este hábito tem de obedecer a algumas regras: é importante que o animal esteja limpo, desparasitado e que seja frequentemente analisado por um médico veterinário.

Jorge Cid, diretor do Hospital Veterinário do Restelo, disse ao Observador que as normas de higiene são indispensáveis. “É uma opção do dono. Não aconselho, mas também não proíbo”, diz o médico veterinário. É que podem mesmo haver questões emocionais relacionadas com esta prática de dividir a cama com o animal de estimação: “Pessoas que estejam sozinhas podem encontrar companhia no seu cão ou gato” e quando isso lhes é vedado pode “provocar desequilíbrios emocionais”, explica.

A Liga Portuguesa dos Direitos do Animal assume que as reticências que algumas pessoas demonstram sobre esta convivência muito próxima com animais são potenciadas pela crença de que “até as mais pequenas alergia podem ser provocada pelo animal de estimação”, diz Maria do Céu Sampaio, presidente da instituição.

O que nem sempre corresponde à verdade. Joaquim Henriques, diretor clínico do Centro Veterinário de Berna, esclarece que “dormir com o animal de estimação depende do cuidado que se tem com eles”. Se o animal for saudável, estiver limpo e tomar banhos regulares não deverá haver problemas. Mas há que ter alguma cautela: “Aos pés da cama, o perigo de aspirar o pelo do animal é diminuído” e o hábito torna-se menos inseguro para quem tenha mais tendências alérgicas.

O médico veterinário alerta contudo para outra questão: “Não são apenas os animais que podem transferir doenças para o humano. O contrário também acontece” e os donos podem tornar-se perigosos para os animais. É por isto que é imperativo ter regras de prevenção de doenças antroponoses, isto é, patologias existentes apenas no ser humano mas que podem ser transferidas para os animais domésticos e vice-versa.

E quanto à aproximação às crianças? Joaquim Henriques lembra que os mais pequenos são mais vulneráveis, mas tanto ele como Jorge Cid sublinham que o convívio entre animais e crianças torna o sistema imunitário mais resistente, nomeadamente a doenças como a asma.

Ainda assim, há uma ressalva que a Liga Portuguesa dos Direitos do Animal deixa: “O animal tem de ser tratado como tal e não lhe pode ser retirada personalidade”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Que almofada escolha segundo a minha postura de dormir?

A escolha de cada produto para descanso é importante e deve ser acordada. Cada artigo deve ser escolhido tendo em conta fatores diferentes. Altura, peso, posição habitual ou incidências de sono são algumas condições importantes, mas não as únicas. Apesar do seu pequeno tamanho, uma almofada é um companheiro essencial numa base diária, além de um bom “consultório”. Pelo seu necessário papel no descanso cervical, ter a almofada adequada melhora o descanso e o dia-a-dia.

Primeiro de tudo, antes de aprofundar sobre a posição, é importante destacar os tipos de almofadas que existem de acordo com o seu material. As almofadas podem ser de látex, fibra, tatp de penas ou viscoelástico. O repertório de almofadas viscoelásticas é o mais variado dentro do catálogo de almofadas Maxcolchon. Este tipo de almofada possui diferentes variantes em cada modelo e destaca-se pelo seu conforto e liberação de pressão. Quanto às posturas para dormir, esse repertório é menos extenso, já que só podemos dormir de costas, de barriga para baixo e de lado. Cada tipo de postura tem um tipo de almofada ideal para essa posição.

  1.  Durma de costas – A altura deve ser intermediária para esta posição e ter uma firmeza média. Desta forma, a almofada respeita os espaços de descanso e não gera muita pressão na musculatura.almofada viscoelástica é boa para a postura mais frequente dos dormentes. A altura neste caso é recomendada para ser alta e de maior densidade.
  2.  Dormir de bruços – Deve notar-se que esta posição não é recomendada, e tem uma série de riscos que pioram o nosso descanso. No entanto, as almofadas de menor espessura e firmeza são os mais adequados.

O VISCOELÁSTICO, O MATERIAL MAIS POLIVALENTE

Como você leu antes, a almofada viscoelástica é aquela que tem uma maior variedade de repertório no catálogo Maxcolchon. Estes permitem uma maior adaptabilidade e uma ótima pressão sobre o colo do útero. Deve-se notar a variedade de usos que essas almofadas têm. O catálogo de almofadas viscoelásticas de Maxcolchon possui modelos com diferentes intensidades e variáveis ​​em termos de firmeza e composição interna. Este tipo de almofadas encontram-se na grande maioria das situações, e eles destacam-se pela sua versatilidade.

O que é uma almofada cervical?

Uma almofada é um produto necessário e essencial em cada descanso. A sua utilidade é oferecer um apoio ideal da cabeça e ajudar a manter uma postura correta durante o descanso. A sua recepção provoca um relaxamento do colo do útero, o que favorece um sono noturno de qualidade e a reparação. De acordo com o seu design e componentes, o catálogo de almofadas Maxcolchon tem diferentes tipos. Para o material, há almofadas disponíveis de viscoelástica, látex, fibra ou caneta de toque. Quanto ao seu design, eles podem ser padrão ou ter variações, como perfurações, recessos ou recessos cervicais.

A almofada cervical é um produto a ser considerado para qualquer tipo de dorminhoco. A peculiaridade deste tipo de almofada reside no seu design, diferente do resto dos artigos. A almofada cervical tem uma curvatura na parte central, uma diferença aproximada de 2,5 cm entre a parte superior e inferior. Seu design, além de exclusivo, é característico deste tipo de produtos.

Quais são as vantagens de uma almofada cervical? Além de seu design, outro ponto importante é sua composição. O viscoelástico, macio e moldado, adapta-se às pressões e garante que os cervicais tenham descanso adequado e evitem lesões. Uma almofada cervical se destaca pela sua ergonomia, o que o torna um suporte adequado para o pescoço, bem como prevenir desconforto. Além disso, evita posturas forçadas e permite repouso adequado aos cervicais.

A almofada cervical Maxcolchon é fabricada com um viscoelástico moldado que segura o pescoço com precisão. Isso permite que uma capacidade de prevenção de problemas cervicais seja ideal. Uma almofada cervical protege o dormente de posturas cervicais más causadas durante o sono da noite, o que evita problemas maiores. Além de sua capacidade de prevenir a dor, os especialistas geralmente recomendam uma almofadacervical para pessoas com doenças na área.

Além de suas funções na liberação de pressão e no cuidado da região cervical, a almofada cervical garante um descanso confortável. Um produto que garante uma adaptabilidade máxima ao colo do útero e que cuida da saúde de cada dorminhoco. Um aliado fantástico na prevenção de problemas cervicais e na correção de más posturas. Quando o descanso e a saúde andam de mãos dadas.