Informações sobre o sono e descanso

Pode ou não dormir com o seu cão ou o seu gato?

A cumplicidade entre humanos e animais de estimação chega ao ponto dos bichos dormirem com os donos. E o que parece descabido para uns, é natural para outros. Mas o que acham os médicos?

Numa altura em que a taxa de natalidade continua a diminuir, muitas pessoas passaram a cuidar dos seus animais de estimação como se se tratassem de filhos. Daí o rol de negócios que nasceu em redor dos “pets”. Mas para outros, as relações de cumplicidade são antigas. E em ambos, as demonstrações de carinho são muito expressivas. Podem mesmo incluir o hábito de dormir com o cão ou o gato.

As opiniões sobre este hábito dividem-se: uns consideram uma prática descabida e pouco higiénica. Outros consideram ser uma simples prova de afeição. Para chegar a uma resposta definitiva, o Observador foi ouvir os especialistas.

A opinião dos veterinários não difere muito: não é anti-higiénico; mais, pode até ser saudável dormir com o seu animal de estimação. Mas este hábito tem de obedecer a algumas regras: é importante que o animal esteja limpo, desparasitado e que seja frequentemente analisado por um médico veterinário.

Jorge Cid, diretor do Hospital Veterinário do Restelo, disse ao Observador que as normas de higiene são indispensáveis. “É uma opção do dono. Não aconselho, mas também não proíbo”, diz o médico veterinário. É que podem mesmo haver questões emocionais relacionadas com esta prática de dividir a cama com o animal de estimação: “Pessoas que estejam sozinhas podem encontrar companhia no seu cão ou gato” e quando isso lhes é vedado pode “provocar desequilíbrios emocionais”, explica.

A Liga Portuguesa dos Direitos do Animal assume que as reticências que algumas pessoas demonstram sobre esta convivência muito próxima com animais são potenciadas pela crença de que “até as mais pequenas alergia podem ser provocada pelo animal de estimação”, diz Maria do Céu Sampaio, presidente da instituição.

O que nem sempre corresponde à verdade. Joaquim Henriques, diretor clínico do Centro Veterinário de Berna, esclarece que “dormir com o animal de estimação depende do cuidado que se tem com eles”. Se o animal for saudável, estiver limpo e tomar banhos regulares não deverá haver problemas. Mas há que ter alguma cautela: “Aos pés da cama, o perigo de aspirar o pelo do animal é diminuído” e o hábito torna-se menos inseguro para quem tenha mais tendências alérgicas.

O médico veterinário alerta contudo para outra questão: “Não são apenas os animais que podem transferir doenças para o humano. O contrário também acontece” e os donos podem tornar-se perigosos para os animais. É por isto que é imperativo ter regras de prevenção de doenças antroponoses, isto é, patologias existentes apenas no ser humano mas que podem ser transferidas para os animais domésticos e vice-versa.

E quanto à aproximação às crianças? Joaquim Henriques lembra que os mais pequenos são mais vulneráveis, mas tanto ele como Jorge Cid sublinham que o convívio entre animais e crianças torna o sistema imunitário mais resistente, nomeadamente a doenças como a asma.

Ainda assim, há uma ressalva que a Liga Portuguesa dos Direitos do Animal deixa: “O animal tem de ser tratado como tal e não lhe pode ser retirada personalidade”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Um sonho pode mudar o mundo

Nunca sonhou com algo que abriu a sua mente? Nunca notou como que uma lâmpada acende em sua cabeça? Certamente conhece muitas invenções que mudaram o mundo, mas … sabe que elas nasceram num sonho? Neste post vamos lhe contar como surgiram algumas ideias que mudaram a história do mundo.

Certamente você estudou a tabela periódica, mas não sabe o melhor. O seu criador, Dmitri Mendeleev, foi capaz de terminá-la graças a uma visualização que teve num sonho. Tinha todos os dados necessários e não sabia como representá-los num gráfico. Mas, de repente, ele adormeceu enquanto trabalhava na sua obra “Organic Chemistry“, e teve um sonho onde eles apareceram representados em filas e colunas. Quando ele acordou, colocou todos os elementos como no seu sonho: ele os ordenou por valências e propriedades, deixando lacunas para incorporar novos elementos. E assim a tabela periódica que conhecemos nos nossos dias foi elaborada.

Elias Howe também foi um sonhador que deu origem a uma invenção revolucionária. Levava algum tempo a tentar desenvolver uma máquina para unir tecidos e, através de um sonho, conseguiu defini-la. O seu sonho não deixou ninguém indiferente. Nele, um grupo de índios o atacou com lanças que tinham buracos no final. Nessas lanças, ele teve a ideia de passar o fio pela ponta e não pela base, como o fizeram até então.

O modelo atómico de Niels Bohr é outra grande ideia ao longo da história que nasceu num sonho. Nele, Bohr estava num Sol quente de gás onde os planetas giravam em torno dele por filamentos. Então, o gás solidificou e as plantas e o Sol se contraíram. Do seu sonho, ele interpretou o Sol como o átomo que tinha em torno de elétrons, indicando os seus níveis energéticos. Este modelo atómico continua a ser representado até hoje.

Quem não conhece Albert Einstein? Uma eminência como ele foi inspirada em toda a sua carreira por um sonho que ele teve na sua adolescência. Einstein sonhava em escorregar num trenó uma encosta íngreme. Ao aproximar-se da velocidade da luz, todas as cores foram misturadas para formar uma. Aí ele teve a sua inspiração para descobrir o que acontece na velocidade da luz, a teoria que ele desenvolveria mais tarde.

A estrutura da molécula de benzeno foi descoberta pelo químico alemão Auguste Keluké. Naquela época, sabia-se que o benzeno era formado por seis átomos de carbono e seis átomos de hidrogénio. Então, Kekulé propôs uma estrutura na forma de um anel que foi um avanço para a química, mas como chegou lá? Quando perguntado sobre a sua descoberta, ele respondeu que foi graças a um sonho onde cobras apareceram a morder-se a cauda.

Não só a ciência avançou graças aos sonhos. Frankenstein, a primeira história de ficção científica do mundo, nasceu de um sonho da sua autora, Mary Shelley. Nele, ela viu como um estudante de artes diabólicas se ajoelhava ao lado de um ser que havia criado reunindo partes de outros homens. Apesar disso, a criatura assustadora, como afirmava a autora, voltou à vida. Depois desse sonho, ela decidiu que tinha que escrever sobre o que viu.

Os amantes da música também devem muito aos sonhos. Yesterday, dos Beatles, surgiu graças a um sonho que Paul McCartney teve enquanto dormia com sua namorada Jane Asher. O conteúdo do sonho não foi revelado, mas ele acordou com a melodia na sua cabeça. Também é interessante que a música fosse chamada de Scrambled Eggs porque sabe-se que a sua namorada os cozinhava naquela manhã. Mas no final eles escolheram Yesterday porque era mais fácil fazer rimas com essa palavra.

Sonhar é normal e é um ato rotineiro do nosso dia a dia. E se pararmos por um momento para analisar por que é que os nossos sonhos podem mudar nossas vidas? Talvez não seja nenhuma loucura.

Vantagens de usar uma cabeceira

Uma cabeceira é um produto essencial para ter um bom descanso. Não só eles são um complemento para o equipamento de descanso, mas têm várias funções importantes no quarto. Por que devemos comprar uma cabeceira para nossa cama? Primeiro, é necessário entender as principais vantagens que contribuem para o nosso descanso:

  1. São uma peça decorativa chave. Uma cabeceira veste a parede principal do nosso quarto e nos permite deixar a nossa marca. O quarto é a parte da casa onde costumamos passar mais tempo e onde relaxamos e descansamos. É importante que a sala seja um local onde nos sintamos confortáveis ​​e possamos sentir um relaxamento necessário para descansar.
  2. Refletem a nossa personalidade. O catálogo de cabeceiras da Maxcolchon oferece uma grande variedade de cabeceiras para você escolher. Eles podem ser em pele sintética, chenille, microfibra ou veludo, e em cores diferentes para escolher. Eles dão a opção de escolher a cor, o estofamento e o padrão apropriado de acordo com a decoração que queremos dar ao quarto. Eles são um ótimo produto para selar a nossa personalidade e as nossas preferências decorativas.
  3. Acomodam a nossa cervical. As cabeceiras não só têm um tecido exterior forrado, mas são compostas por um estofamento no interior. Eles proporcionam conforto quando fazemos outras coisas na cama além de dormir, como ler ou assistir televisão.
  4. Protegem para um melhor descanso. O preenchimento interior da cabeceira protege a nossa cabeça contra a parede, suavizando qualquer golpe que possa nos prejudicar. Eles também evitam que o travesseiro se mova enquanto dormimos, o que nos impede de dormir em uma posição desconfortável.
  5. Cumprem uma função higiênica. As cabeceiras são uma barreira que separa a cama da parede. Isso nos impede de perder calor na parede, o que o torna um excelente protetor nas noites mais frias. Além disso, também protege a cama e a cama contra a deterioração prematura. Uma cabeceira ajuda a conservar a vida útil do colchão.

Cabeceiras de cama desempenham um papel importante em todos os aspectos-chave do descanso. Também é importante que o tamanho de cada cabeceira coincida com o da cama, a fim de protegê-lo de forma eficiente. O catálogo Maxcolchon possui uma ampla gama de tecidos, tamanhos e cores para que seja mais fácil encontrar a cabeceira ideal.