Ressonar das crianças: o seu filho faz barulhos à noite?

Nov 27, 2019 | ACONSELHAMOS-TE, CRIANÇAS |

Para desfrutar de um sono agradável e refrescante é necessário que as crianças tenham uma série de elementos que lhes permitam desfrutar de um ambiente calmo, pelo que não deve haver nenhum agente externo ou distractor que possa causar interrupções nocturnas e afectar o tempo de sono, entre os mais comuns estão o ronco das crianças.

Conhecer as causas que os geram permite aos pais e cuidadores atacar o problema a tempo e evitar que se tornem doenças respiratórias, também conhecidas como síndrome das apneias: hipopneias do sono (SAHS) que afetam negativamente o bom descanso, o crescimento e a vida futura das crianças.

Mito ou realidade?

A primeira coisa que deve ser esclarecida é que os adultos não são os únicos que roncam quando dormem, as crianças também são afetadas e é mais frequente do que pensamos; tão importante é este tema que tem sido estudado por especialistas e compartilhado em publicações de diversa natureza, onde apontam as consequências negativas que afetam o seu desenvolvimento.

Segundo uma publicação da Sociedade Espanhola de Pneumologia e Cirurgia Torácica (SEPAR), 75% das crianças entre os 3 e os 12 anos de idade, diagnosticadas com síndrome da apneia do sono, também desenvolvem problemas associados ao défice de memória, atenção e ansiedade.

Da mesma forma, o estudo desta organização indica que esta doença impacta, de forma importante, na forma de se comportar e no desempenho acadêmico das crianças em idade escolar, por isso é necessário prestar especial atenção ao ronco infantil.

Quais são os sinais de alerta?

A apneia do sono é um distúrbio que afeta o bom funcionamento das vias aéreas, com um bloqueio que pode ser parcial ou completo e perturba o processo normal do sono.

Geralmente, os sinais de aviso incluem a respiração pela boca, sudorese excessiva, movimentos incomuns durante o sono, ansiedade ou hiperatividade na classe, refluxo gastroesofágico, obesidade infantil, ou crescimento anormal de amígdalas e adenoides.

Se o seu filho ressona frequentemente e cada vez mais com um som mais percetível, sem apresentar quaisquer sintomas de gripe ou constipação, preste atenção aos sinais de aviso detalhados abaixo.

Porque é que as crianças ressonam?

Existem várias razões pelas quais um pequeno pode ressonar, listamos as mais frequentes: sofrer de algum tipo de alergia, ter um resfriado, ter excesso de peso para a sua idade, viver com pais ou parentes que fumam, sofrer paralisia cerebral ou ter regurgitações para alguns alimentos, no caso de estarem amamentando.

A causa básica do ronco infantil é que o ar que passa pelo trato respiratório não circula bem, devido a alguma condição particular que se apresenta (biológica ou física) e afeta o seu funcionamento normal. Por sua vez, isso desencadeia outras consequências psicológicas e emocionais que interferem no repouso agradável, como pesadelos e sonambulismo.

Ressonar menos é descansar mais

O repouso e a energia diária estão associados ao sono restaurador de qualidade, porém, se este for negativamente afetado por distratares como o ronco de crianças, as crianças em casa podem alterar o seu comportamento na sala de aula, permanecer sonolentas, ter baixa energia e desenvolver mau humor, o que afeta não apenas o seu comportamento, mas também o desempenho acadêmico.

Neste caso, é melhor ir ao pediatra que, através do exame físico e exploração, determinará os passos a serem seguidos; eventualmente, é solicitada a realização de gravações enquanto a criança dorme e exames mais exaustivos para avaliar as possíveis causas do distúrbio do sono.

Dependendo do motivo do ronco, o tratamento pode ser de menor alcance (medicamentos para tratar alergias ou refluxo), para medidas mais complexas, como estudos do sono e cirurgias para corrigir o problema, o essencial é garantir que a criança durma bem e descanse.