Tecnologia e descanso: como afeta os mais pequenos

Nov 5, 2020 | ACONSELHAMOS-TE, CRIANÇAS |

Embora não nos faça falta nenhum estudo para saber que o uso excessivo da tecnologia afeta o descanso dos mais pequenos, já dispomos da pesquisa para o provar. Sem ir mais longe, uma publicação da revista Pediatrics e realizada por cientistas da Penn State University, nos Estados Unidos, mostrou este impacto que os dispositivos eletrónicos e digitais têm no sono das crianças e dos adolescentes. Primeiro, os dados do artigo indicam que até 30% das crianças e 70% dos adolescentes não dormiram as horas recomendadas pelos especialistas.

A um nível mais profundo, o estudo mostrou que 75% das crianças tinham estes dispositivos eletrónicos nos seus quartos e 65% confessaram usá-los momentos antes de irem para a cama.

Luz, som, ruído: é assim que os dispositivos eletrónicos influenciam no descanso dos mais pequenos da casa

O que hoje em dia já são dados palpáveis e publicados por universidades prestigiadas, anteriormente eram sensações que poderíamos observar nos nossos próprios filhos. Por razões lógicas, a tecnologia alimenta as horas de sono e agrava a qualidade do mesmo através de três razões principais:

1- O maior tempo de exposição televisiva, horas de computador, mensagens WhatsApp e o uso de redes sociais, dedicam menos horas ao descanso e ao sono.

2- O uso de dispositivos eletrónicos (incluindo televisão) estimula cognitivamente o cérebro dos menores, o que provoca uma pior reconciliação do sono e uma deterioração da sua qualidade.

3- A luz emitida por dispositivos eletrónicos também afeta o ritmo circadiano das pessoas, o que acaba por causar uma dessincronização do relógio interno biológico.

Se por si só, este aumento da utilização de dispositivos eletrónicos afeta todo o tipo de pessoas, independentemente da sua idade, imagine como pode influenciar o descanso das crianças e dos adolescentes com um nível mais elevado de excitação e pior controlo das suas emoções e ações.

Tendo em conta que o número de horas de sono recomendadas para crianças até aos 4 ou 5 anos pode chegar às onze, hoje em dia já existem especialistas e pediatras que falam de crianças que não ultrapassam as 7 horas de sono. O motivo? Apesar da sua idade, os pais permitem que assistam TV ou utilizem o Tablet de maneira primária até horas não recomendadas para a idade das crianças.

Por razões óbvias, deitar uma criança que alguns minutos antes consumiu conteúdo audiovisual (impactos visuais, sons, música, luz…) é sinónimo de um estado de excitação que não pode desaparecer só por causa de deita-la na cama. É aí que entra o principal problema, a reconciliação do sono demora a ocorrer e o próximo passo chega: as horas de descanso diminuem.

O próximo passo no círculo vicioso ocorre no dia seguinte. Depois de não ter descansado o suficiente, a criança vai achar impossível dar um rendimento de 100% à escola. Seis ou sete horas de sono acabam por terminar em pior desempenho académico e problemas com os professores. Mas não é só este desempenho da escola que é o único dos problemas. Pelo contrário, poderíamos falar de uma porta de entrada para outras patologias: depressão, obesidade e desenvolvimento de certas perturbações psicológicas, como o défice de atenção e a hiperatividade (TDAH).

Felizmente, o principal fator que pode acabar com este ciclo e o elevado consumo de dispositivos eletrónicos reside principalmente nos pais. Estabelecendo certos limites para este tipo de atividades e ensinando-lhes que há tempo para que todos possam ajudá-los a encontrar calma, relaxar e preparar-se para descansar. Mas além dos horários e da pedagogia, existem outras dicas que os pais podem seguir:

– Obviamente, remova todos os dispositivos tecnológicos e eletrónicos dos quartos das crianças. Uma sala livre de TELEVISÃO, computador, tablet ou smartphone tornar-se-á um espaço que incita ao relaxamento.

– Para ajudar as crianças a entender que os quartos não são lugar para dispositivos eletrónicos, nada melhor do que ser exemplar. Ou seja, todos os membros da família deixarão os seus telefones e portáteis em algum lugar-comum na casa.

– Definir as noites como um momento de relaxamento e de descanso para toda a família. Para tal, não há nada melhor do que corrigir certas rotinas que ajudam na higiene do sono.