Diferenças e vantagens entre bases forradas e estrados

Se procura renovar a sua cama, é provável que esteja em dúvida sobre optar por uma base forrada ou um estrado de ripas. Este tipo de suporte, que são os mais habituais para colchões, apresentas óbvias diferenças entre eles e que deve conhecê-las para não terminar por tomar a decisão errada.

Os estrados de ripas são a solução tradicional mais habitual graças à maior respiração que proporcionam. O espaço que separa cada lâmina permite aos colchões contar com maior ventilação, que resulta ser imprescendível para todos os modelos de colchões mais antigos. Devido aos materiais e tecidos utilizados, os colchões têm contado sempre com baixa respiração, o que facilitava a criação de humidades e ácaros. O inconveniente dos estrados de ripas é que uma grande parte da superfície do colchão fica sem nenhum tipo de suporte, pelo que resulta ser mais fácil e comum que se produzam deformações e afundamentos.

Los somieres de lamas son la solución tradicionalmente más habitual gracias a la mayor transpiración que aportan. El espacio que separa a cada lama permite a los colchones contar con una mejor ventilación que resulta imprescindible para los modelos de colchones más antiguos. Debido a los materiales y tejidos utilizados, los colchones han tendido siempre a contar con una baja transpirabilidad lo cual facilitaba la creación de humedades y ácaros. El inconveniente de los somieres de lamas es que una gran parte de la superficie del colchón queda sin ningún tipo de soporte, por lo que resulta más fácil y común que se produzcan deformaciones y hundimientos.

Mais recentemente, tem profilerado a utilização de bases forradas como suporte para as camas.  Contar com uma tábua firme a plana como apoio para o colchão garante um suporte uniforme, que dificilmente permitirá que o colchão se deforme pelo lado inferior. A desvantagem que as bases forradas têm a respeito dos estrados é a sua menor capadidade para deixar o colchão respirar. Não obstante, hoje em dia a maioria dos colchões contam com uma respiração melhor porque as bases forradas converteram-se no suporte mais indicado.

Para saber se um colchão está apto para uma base forrada ou se pelo contrário, seria mais recomendável um estrado, é necessário conhecer a composição interna. Os colchões com núcleos de molas são aqueles que permitem uma maior transpiração, pelo tanto praticamente todos são aptos para utilizar em bases forradas. Além disso, as molas proporcionam aos colchões uma alta capacidade de rebote, pelo que também se beneficiam da firmeza das bases e não tanto da elasticidade que proporcionam as ripas.

No caso dos colchões de espuma, como a maioria dos viscoelásticos, a respiração vai depender em grande medida da densidade das espumas e da visco. Quanto maior a densidade, menos é a respiração, ainda que tenha diferentes tratamentos. Em maioria dos casos, os colchões viscoelásticos atuais continuam a ser igualmente compatíveis com bases forradas. Em zonas costeiras ou com muita humidade talvez devesse ter em conta um estrado. Por último, os colchões de látex são os que respiram menos. Por esta razão, os núcleos deste material costumam contar com varias perforações. Dependendo do fabricante, os colchões de látex podem ser aptos para o uso em bases forradas, como é o caso de Maxcolchon. Não obstante, se tem uma base ou um colchão antigo, a opção mais recomendável é a de um estrado de ripas.

En el caso de los colchones de espumación, como la mayoría de viscoelásticos, su transpirabilidad va a depender en gran medida de la densidad de las espumas y la visco. A mayor densidad, menor es habitualmente su transpirabilidad, aunque esta se puede ver aumentada gracias a distintos tratamientos. En la mayoría de casos, los colchones viscoelásticos actuales continúan siendo igualmente compatibles con bases tapizadas. En zonas costeras o con mucha humedad quizás debas considerar optar por un somier.